Hoje Estou de Luto

Hoje enterrei definitivamente um sonho,
um sonho que nem sei se teria alguma chance de se realizar.
Embora irreal, era o que eu conseguia dar conta então.
Hoje, eu estou de luto.

Mesmo sendo irreal, ele me fez viver, entregar-me, lançar-me,
saborear a aventura, experimentar o risco.
Com ele pude sentir os extremos, o tórrido e o gélido.
Apesar disso, hoje eu estou de luto.

Neste dia em que ele se acaba,
embora tudo esteja claro para mim,
não me paire nenhuma dúvida, nenhuma indecisão,
eu sou um choro só, um choro muito, muito alto.
O choro forte e desesperado de quem passa pelo luto.

Ainda insiste aquela sensação do sonho do sonho impossível,
o único recurso para enfrentar o desconhecido da sua próxima ausência.
Ele poderia não ser factível é verdade,
mas me iludia com a sua existência.
Por isso estou enlutado.

Talvez seja este o preço para uma real chance,
talvez amanhã eu até possa pensar em olhar o Sol,
talvez até encare a sua despedida como uma nova abertura.
Mas hoje, hoje é só o luto.

Como será viver sem sem esse sonho impossível?
Não mais contar com as suas expectativas, embora falsas, que me proporcionava?
Como fazer sem as suas ilusões para acreditar?
Como viver sem a crença, embora frágil, que me proporcionava?

Temo tentar avaliar o tamanho deste medo.
Hoje eu não dou conta disso. Sou só tristeza.
Hoje eu estou de luto!