Um Caminho

Adeus A

Adeus!

Meu lar, meu início, meu puro começar.

Sonhos que aconteceram, sonhos que não acordei, sonhos que ainda virão.

Minha base, minha fortuna, minha apresentação ao amor.

Você fica, eu vou, mas sempre seremos nós!

A jabuticabeira, o meu quarto, a tartaruga, a minha cama,
o meu armário, a ameixeira, as flores, a horta, os meus bichos,
todos os meus tesouros!

Adeus minha primeira morada, meu doce lar amado!

Nota: todos em algum momento temos ou teremos de nos despedir de algo muito importante para nós.
Nessa hora cabe uma despedida muito especial e a acima deu-se quando tive de me desfazer do imóvel aonde nasci, cresci, morei casado algum casado e hoje é ocupado por mais um prédio na cidade de São Paulo.

Para Sempre … Viver e Amar

Só você,

suas coisas,
seus sonhos,
seus desejos,
seus medos, suas realizações.

Sua fé,
sua vontade,
sua disposição,
sua atitude,
sua ação.

Seu choro,
sua risada,
sua ternura,
seu bem querer,
seu amar,
sua capacidade de motivar.

Para sempre o seu lutar,
o seu empolgar-se,
o seu vibrar,
para sempre, o seu amar.

Aceitando-se e desejando-se sempre,
bastando-se, porém isolando-se nunca.

Curtindo-se e amando-se sempre,
negando-se nunca.

Abrindo o coração,
sorrindo com afeto,
abraçando com ternura,
aquecendo com carinho.

É assim,
para sempre … viver e amar!

Sou Feliz

O coração clama,
a alma sorri,
o corpo pede!

Sinto,
acredito,
quero!

Experimento,
curto minhas emoções,
Aceito minhas verdades.

Aí vivo,
vivo feliz,
feliz porque me gosto!

Creio que o meu guia interno haverá de me guiar,
de ilumina o meu melhor caminho,
e daquele que eu gosto de gostar!

Vida é risco

É não saber o após,
é aceitar o imponderável,
é saber avaliar o que realmente podemos.
é poder encarar nossos limites como nossos aliados.

É viver o já, somente!

Irmão de Alma

É aquele que transmite, de coração:
proximidade mesmo estando longe,
aceitação mesmo não concordando,
apoio sem cobrança.

É aquele que ouve,
mesmo já sabendo o fim da história,
mesmo percebendo que você não quer a verdade,
mesmo tendo consciência que você não quer ouvi-lo.

É aquele que possibilita a sabedoria da paciência,
o valor da reflexão, o alívio do choro.

É aquele que nunca, nunca deixará de estar com você,
de acreditar em você, de torcer por você.

É aquele que o dispõe ao ressurgir da esperança,
à fé de que algo ainda existe,
ao encanto de um sorriso nos seus lábios,
à volta da palavra amor ao seu vocabulário.

Irmão de alma,
como é bom tê-lo junto à nós,
pela fôrça que nos transmite,
pelo abraço e carinho que oferece,
pelo afago que proporciona.

Ternura

Mãos se tocam,
olhos se vêem,
corações se percebem,
almas se sintonizam.

Exigências deixam de existir,
pensamentos fluem,
sonhos afloram,
disposições aparecem.

…mas aí a realidade chega e
chega dura, doendo muito.
Nesse momento concluímos que tudo não passou
só de um sonho e que:
nunca mais haverá sol,
a esperança acaba,
o sorriso se apaga,
a solidão nos envolve,
o desespero toma conta.

Não, não!!!
A alma que clama pela vida grita:
“Você não está só!
Algo muito importante te foi dado,
proteção, alimento, carinho, esperança,
tudo isso te foi ofertado de coração.
Algo de novo e definitivo foi estabelecido dentro de você,
algo que nunca mais se perderá, algo que te fará viver.

Novamente os teus olhos brilharão, o seu sorriso voltará,
algo de novo exiate agora no seu coração,
algo tão especial que só viria mesmo de alguém muito especial,
algo chamado, simplesmente:

Ternura!

Nota:
Este poema foi escrito num momento em que eu aprendi que mesmo numa grande dificuldade se aprende alguma coisa e podemos sair dela diferentes para melhor, crescidos.

Voltar

Como é bom poder voltar e,
sorrindo para si próprio,
saborear uma boa lembrança.

Como é bom poder fazer isso sem pressa,
revivendo em câmara lenta tudo o que se passou.
O principal: fazer isso sem necessidade de nenhuma avaliação,
de nenhuma preocupação com o julgamento do outro.

Como é bom poder voltar,
saber que passamos por ali,
quem sabe até conseguindo reviver o que sentíamos então,
mas agora fazendo isso sem obrigação de coisa alguma.

Como será bom, um dia, poder voltar à hoje,
relembrar as minhas expectativas para este momento,
recordar da minha torcida para que tudo desse certo.

Como será bom um dia voltar a hoje e poder constatar que vivi!

Nota:
Nas minhas andanças artísticas tive a oportunidade de gravar algumas cenas com Sonia Braga e uma delas aconteceu numa praça em São Paulo.
Como ela era muito conhecida e estava de volta ao Brasil após vários anos, para atuar novamente em uma novela, haviam muitos curiosos por lá.
Algum tempo depois eu voltei a essa praça e me vi revivendo os momentos de insegurança e de muito receio em não corresponder a altura do que esperavam de mim naquela situação tão importante.
Essa lembrança foi o gatilho para o poema “Voltar”.